domingo, 9 de maio de 2010

Os Injustiçados parte 5 - Chengeling: O Sonhar

Hail and Kill, macacada!

E aqui está de volta o Oráculo em defesa dos RPGs injustiçados e vítimas de preconceito!

Hoje falarei sobre um de meus RPGs favoritos, superando até mesmo o AD&D na minha preferência pessoal. Falo de Changeling: O Sonhar...
...

"- Qualé, Oráculo? Vai dizer que tu é fã do jogodas fadinhas?" - Pergunta o jovem verme, leitor do Dragão Banguela, encucado com a frase anterior.

Dizer que Changeling é um jogo de fadinhas é o mesmo que reduzir Dungeons & Dragons a um jogo de onde bancamos o Príncipe Encantado da Bela Adormecida!

DO QUE SE TRATA?

Changeling é o quinto título principal do Mundo das Trevas, antecedido por Vampiro, Lobisomem, Mago e Aparição. O jogo se passa no mesmo Mundo das Trevas que os títulos anteriores, mas sob uma perspectiva um tanto diferente.

O termo Changeling vem do folclore europeu, onde as fadas secretamente trocavam seus bebes com os humanos, fazendo com que seus descendentes crescessem vivendo como reles mortais.


Em um passado longinquo as Fadas andavam livremente pelo mundo dos mortais, sendo livremente aberto o portal para Arcadia, terra natal das Fadas, localizado no Sonhar, a dimensão dos sonhos. Logo, os humanos deixaram de acreditar em magia e fadas (o mesmo problema que deu origem ao Paradoxo de Mago). A Inquisição começou a caçar todos os seres sobrenaturais, e os mais inteligentes resolveram fugir ou se esocnder.

Os Nobres de Arcádia fugiram e abandonaram seus suditos à própria sorte trancando as passagens para Arcádia. Temendo seu fim as Fadas plebéias começaram a se misturar entre os humanos, trocando seus filhos com eles em sigilo, na esperança de que estes tivessem uma vida mais segura. Surgiram assim os Changelings, criaturas meio sonho meio realidade.

As coisas ficaram mais amenas até que por algum motivo os Nobres resolveram voltar, aparentemente expulsos de Arcádia e sem nenhuma memória do que havia acontecido no mundo dos sonhos. Desnecessário dizer que houve uma guerra que acabou reestabelecendo o poder dos Nobres, mas não de forma absoluta como antes.

Esse é claro, é um resumo bem superficial da história do jogo. Como são seres metade sonho metade realidade os Chengelings não devem jamais penderem para um só lado. Um Chengeling que viva demais entre os humanos acaba perdendo seu lado mágico para a Banalidade, enquanto um que viva muito tempo entre as fadas, sem passar tempo nenhum entre os humanos acaba no estado de Desvario, onde toda sua conexão com o mundo real é perdida.

Se engana quem acredita que não existam possibilidades de conflito neste jogo. Além de viverem em conflito entre si mesmos, com suas duas facções, a Corte Seelie e a Corte Unseelie, muitas vezes os Chengelings entram em conflito com Dragões e outros seres mitológicos.

A existência dupla de um Chengeling é bem destacada. Ele não "se transforma" em fada ou vice-versa, na verdade existem nos dois mundos ao mesmo tempo. Os humanos os veem como humanos normais, enquanto somente outros Chengelings ou seres com ligações com o Sonhar (crianças, loucos, Malkavianos, alguns Magos) podem ver sua verdadeira natureza, então, um velinho carregando uma bengala pode na verdade ser um guerreiro veterano Troll portando uma espada mágica. Isso mesmo, os fãs de D&D nunca viram tantos itens mágicos quanto em Changeling =D

A fonte de poder dos Changeling é conhecida como "Glamour", que é a energia dos sonhos e da criatividade. Os Chengelings da corte Seelie escolhem uma espécie de inspiração a qual devem trazer para um mortal, para que a criatividade deste o alimente. Já os Changeling da Corte Unseelie fazem o contrário e se alimentam do ato de destruir os sonhos e a critividade.

Ao contrário de D&D, a sociedade Changeling é uma sociedade REALMENTE medieval, com direito a títulos de nobreza e tudo mais. O território dos EUA, por exempo, é conhecido como o Reino de Concórdia, o principal de todo o jogo.


POR QUE NÃO DEU CERTO?

Preconceito puro e simlples. Changeling busca ser um jogo mais "colorido" que seus irmãos do Mundo das Trevas, mas quem conhece os verdadeiros contos de fadas das lendas européias sabe o quão violentas essas histórias são.

O estigma de "jogo da fadinha feliz" fez com que o jogo recebesse apenas duas edições e depois fosse cancelado.

Os jogadores acostumados com os vampiros depressivos e lobisomens ecológicos não conseguiram pegar bem o clima de Changeling e não deram a chance que o jogo merecia. No Brasil também houve outro problema que foi a demora da Devir em traduzir o livro básico, já praticamente no fim da vida do velho Mundo das Trevas.


DESFAZENDO A INJUSTIÇA

A melhor maneira de desfazer o estigma de "joguinho colorido" é mostrar aos incrédulos os Redcaps e os Trolls, seres com aparências bestiais e excelentes guerreiros.

Para quem conhece as HQs do Sandman, sabe que o Sonhar não é um mundo tranquilo como uma bela noite de sono e que as possibilidades de ação são muitas.

Além disso, Chengeling se passa no mesmo Mundo das Trevas de Vampiro, Lobisomem e Mago, o que por si só já é prova de que as coisas não são nada "alegres"...

13 comentários:

  1. OK, você me convenceu, mas me convenceria mais se tivesse o link com o livro ai =D

    ResponderExcluir
  2. cara eu acho a historia massa de changeling, assim como mumias seriam meus jogos preferidos de storyteller... se não fossem storyteller, pois não curto em nada o cenario, ae ja viu.

    ResponderExcluir
  3. É o meu livro favorito, pois como sou meio louco e sempre acho que estou na dança onirica da primeira vez que li dscobri que era um troll!HAUIHUIAUIHAUIAUIHAUHA

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. A arte do livro é ótima, mesmo sendo WoD e muita gente não gostando do colorido é bom recordar que são contos de fadas raizes, remetendo até a aos nomes originais. Putz e um Chengeling mata um vampiro só de olhar para ele!

    ResponderExcluir
  6. Em falar em contos de fadas sangrentos, a alguns meses atrás, saiu uma edição da revista Mundo Estranho que falava justamente disso! Foi somente com os Irmãos Grimm que alguns contos ficaram mais "bonitinhos"!

    ResponderExcluir
  7. Changeling é inspirado nos contos de fadas originais, que eram na verdade mais histórias de terror do que historinhas de crianças.

    Como muita gente só conhece essas histórias através da Disney, fica a falsa impressão de que o clima no jogo é bem diferente.

    Outra fonte de inspiração são as HQs do Thor, principalmente as que se passam em Asgard. Quem já viu os elfos de Asgard sabe o quão terríveis eles podem ser.

    Para os combativos, um Changeling pode fazer frente à maioria dos seres sobrenaturais do Mundo das Trevas. Um Troll Rezingão tem uma Força pra Garou nenhum botar defeito =D

    Eu jogava como Sluagh, era um sujeito que em seu semblante mortal era uminterno de um sanatório. =D

    ResponderExcluir
  8. O nosso próprio folclore tem outros exemplos de como contos de fadas podem ser cruéis, mas que de modo geral não são vistos assim.

    Quem já ouviu as histórias do Saci, Mula sem Cabeça ou Boto Cor-de-Rosa, sabem que são bem sanguinárias, mas Monteiro Lobato popularizou versões "light" desses mitos.

    ResponderExcluir
  9. Acho que um dos poucos que não tiveram versão light, foi o do Negrinho do Pastoreio! O carinha foi chicoteado até ficar em carne viva e depois foi posto nu em cima de um formigueiro!

    É uma história bastante popular aqui no RS.

    ResponderExcluir
  10. Tem homem nu vira popular no RS...

    huhauahauha... zueira =D

    ResponderExcluir
  11. HOW!! Oracle acessa ai> http://crazyhall.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Ráááááá!!!

    Sabia que uma hora ou outra a fama dos gaúchos ia se manifestar aqui no DB!

    ResponderExcluir