quarta-feira, 7 de julho de 2010

Downloads: Dragonlance - Dragões do Crepúsculo do Outono


Buenas vermes!

O Trapaceiro vem aqui hoje enfiar um pouco de cultura em seus rabos imundos! Já que esta semana tivemos o magnânino post do cenário de campanha Dragonlance para a 3ª Edição, nada melhor do que conhecer um pouco mais sobre Krynn, a Guerra da Lança e do Meio-Elfo perdedor Tanis através da trilogia de romances Dragonlance: Crônicas...

... Então, Dragonlance - Dragões do Crepúsculo do Outono é um livro escrito por Margaret Thatcher Weiss e Tracy Hickmann em 1984, sendo o primeiro da trilogia das Crônicas de Dragonlance, seguido pelos livros Dragões da Noite de Inverno e Dragões da Alvorada da Primavera.

Eu felizmente (ou infelizmente) possuo a trilogia que foi lançada pela Devir e acompanhada com suas pavorosas traduções de nomes próprios (Sturm Montante Luzente? Pfff). Bom, eu preciso admitir que gostei bastante dos dois primeiros volumes, repudiando apenas o último livro da série.

Uma pena que a Devir tenha traduzido somente uma das numerosas trilogias existentes de Dragonlance.
Para vocês terem uma idéia, até em Portugal que é fraquíssimo o mercado de livros de RPG, eles tiveram mais livros de Dragonlance traduzidos para o português (de portugal é claro) do que nós, a prole de terceiro mundo.

Não vou me aprofundar muito mais para não entregar spoilers sobre os livros. Mas recomendo que leiam, certamente não será tempo perdido.

E por falar em spoilers... Sempre que penso em Dragonlance, a primeira coisa que me vem a cabeça, são as belas imagens deste ótimo cenário de RPG...







4shared

Dragonlance - Dragões do Crepúsculo do Outono

Nos vemos no próximo post banzéiada!

8 comentários:

  1. Eu tenho essa trilogia em português de Portugal (e dois deles no nosso português daqui).
    Assim q comecei a ler o de Portugal e vi a descrição dos personagens.... "Tanis Semiduende", desisti =D
    Agora só vou ler qndo comprar o Dragões da Noite de Inverno em português.
    =D

    ResponderExcluir
  2. Eu possuo a trilogia completa e quase compri alguns em inglês no stand da Devir na última Bienal do Livro aqui no RJ, mas preferi usar a grana pra comprar um pack da Camarilla.

    Mas eu não achei a tradução dos nomes tão tenebrosa assim. Pelo menos, na minha opinião, Montante Luzente consegue exprimir melhor o clima de linguagem rebuscada típica das eras medievais de forma melhor do que Lâmina Brilhante (Brightblade).

    Vale lembrar que a Devir sempre consultava a própria Margareth durante o processo de tradução.

    No fim das contas eu gostei bastante da trilogia. Todo fã de RPG que se preze deve ter um exemplar dos livros em sua prateleria!

    ResponderExcluir
  3. Eu consegui esse livro na versão em PT-BR, mas até hoje não consegui ler. Não me levem a mal, mas achei meio enfadonho, com uma linguagem muito moderna e simplista para descrever algo tão rústico e grandioso. Mas reconheço que foi uma contribuição enorme para o RPG internacional.

    ResponderExcluir
  4. Nossa eu preferia as edições antigas com o desenho das capas do Lary Elmore, muito mais foda!

    ResponderExcluir
  5. Saudações,

    A tradução de nomes,prenomes e sobrenomes, amiúde configura-se cousa péssima,pois retira o resguardo e significação originários a fim de buscar um paralelo numa língua totalmente outra.Imagina tu,por exemplo,alguém com sobrenome "Limoeiro" virar um,burlesco, "Lemontree" só porque apresenta-se num ambiente anglófono!A própria estrutura de epítetos medieva anglo-saxã e céltica,feliz ou infelizmente,não encontra paralelos em Português(um dos motivos de porque o clássico literário "Beowulf",possuiria pouco impacto poético em nós e desvelaria severas dificuldades ao entendimento imediato se traduzido à nossa língua).

    Quanto à afirmação do dileto Trapaceiro de que o mercado lusitano é fraco,devemos retificar.Vide que a tradução das crônicas("War of the Lance") e lendas("Time of Twins") por acolá,aconteceu muitos anos antes de sequer pensar-se algo da TSR em terras tupiniquins.E, recorde-se,teve como suporte vultosa publicação de livros-jogos da série "Aventuras Sem-Fim"(básica e avançada)como,apenas para citar,os, magníficos,"Prisioneiros de Pax-Tharkas" e "O Último Desafio".Em verdade,a decadência dos rpgs de mesa em Portugal é fenômeno do começo do século XXI para cá,conforme corroboram-se lançamentos até de materiais obscuros da Rose Estes para suporte de jogo D&D e AD&D pela Europa-América.

    Meus Respeitos,

    R.C.Zarco

    OBS.:A Margareth Weiss ser consultada sobre a tradução de sua obra,nada significa.Afinal,esta não fala Português para,sequer,conceber como articulada a tradução dalgo por ela escrito.

    ResponderExcluir
  6. OBS2.:Bom o "spoiler" da morte de Sturm,Trapaceiro!hahahaha.

    ResponderExcluir
  7. Raphael "Ingroh" Fernandes8 de julho de 2010 20:11

    caraca cara, não vejo o porque de traduzir os nomes cara,Tanis meio elfo,Sturm Montante luzente, foi igual ao livro de D&D do Warcraft, Thrall = servo, Jaina Proudmoore = Jaina mourorgulho, Pelo amor de Tyr!!!!, nao há a necessidade de traduzir nomes, baixei, mas nao da nem vontade de ler.

    PS: nao estou reclamando da tradução. só acho errado traduzir os nomes.

    ResponderExcluir
  8. Eu sei pq traduziram os nomes....É para ficar mais tosco mesmo! O LOKO que cometeu esse pecado não joga RPG e nem sabe do que se trata o livro!

    ResponderExcluir