sexta-feira, 8 de outubro de 2010

[ Sessão Doppleganger ] - Mortal Kombat



Saudações, meu povo!

E mais uma vez vemos aqui no blog a estréia de mais uma coluna sem qualquer periodicidade definida!

Qualquer um que leia os meus textos sabe que eu busco inspiração na finada Dragão Brasil. E o que mais havia na DB?

Adaptações!

Então cliquem no Leia Mais e sejam felizes...

...

Sim, como eu disse nos parágrafos anteriores, teremos uma coluna especial para adaptações de várias mídias como cinema, literatura e games para a sua mesa de jogo.

Mas não são meras adaptações como as que tínhamos na Dragão Brasil e hoje vemos na Dragon Slayer! A minha intenção aqui não é apresentar soluções mecânicas de como fazer o seu personagem favorito aparecer nas regras do sistema que você jogue e sim apresentar ideias de como VOCÊ mesmo pode fazer isso.

Nesta coluna eu não me prenderei a nenhum sistema específico. Ao invés disso, darei ideias de como moldar seu sistema de jogo favorito para que ele possa ser utilizado em um cenário famoso. Por isso mesmo a coluna se chama Doppleganger, pois é uma criatura que é capaz de se adaptar e transformar. Eu preferia usar o Super Adaptóide, inimigo dos Vingadores nas HQs da Marvel, mas poderia gerar problemas com a Casa das Ideias e eu não tenho grana pra pagar advogados.

Além do mais a Marvel hoje em dia é da Disney e nunca é sadio mexer com uma empresa que incentiva a necrofilia (assistam Branca de Neve e confirmem).

Enfim, a adaptação de hoje é de um dos games mais sanguinolentos da história, Mortal Kombat!

Lançado pela Midway em 1992 o jogo Mortal Kombat foi mais um dos milhares de jogos criados para pegar carona no sucesso de Street Fighter II da Capcom. O grande diferencial aqui eram as imagens de atores reais digitalizadas e o excesso de sangue... mas MUITO SANGUE MESMO.

Não falei? Sangue bagarai!

A ideia de poder decapitar o inimigo ao fim da luta ou arremessá-lo em um monte de espinhos fez com que muita gente ficasse fã do jogo. Em contrapartida houveram também muitas críticas de pais e professores preocupados, o que só aumentou a popularidade do jogo em uma época em que fliperamas eram considerados antros de marginais.

Eu praticamente cresci dentro de fliperamas e nunca usei drogas, portanto podemos ver que essa era uma teoria furada.



ENREDO

A trama de Mortal Kombat gira em torno do torneio homônimo. De tempos em tempos é realizado um torneio de artes marciais entre a Terra e Outworld, uma espécie de outro mundo, acessado através de portais planares. Após dez vitórias consecutivas Outworld teria a permisão dos Deuses Anciões para dominar a Terra (e outros mundos que foram sendo convenientemente criados nos outros jogos da série).

O atual campeão, Goro - um homem-dragão de quatro braços - já tem nove vitórias, mas agora existe um monge shaolin com sede de vingança e disposto a acabar com a hegemonia do torneio.

ELENCO

Se eu realmente precisar te dizer quem é quem, você não viveu...

Liu Kang: Treinado pela Sociedade da Lotus Branca, uma ordem de monges shaolin, Liu Kang é o principal protagonista da série. Ele entra no torneio para vingar seu ancestral Kung Lao que fora assassinado por Goro no torneio anterior.

Johnny Cage: Astro do cinema de artes marciais, Cage procura um meio de provar que não é uma fraude e que suas habilidades são genuínas, por isso entra no torneio para ter material para um novo filme.

Sonia Blade: Militar que entra no torneio para ter a oportunidade de caçar o perigoso assassino Kano, líder da organização Black Dragon.

Raiden: Deus dos trovões e protetor da Terra, entra no torneio com um corpo mortal e enfraquecido para evitar que Outworld domine a Terra.

Sub-Zero: Ninja do clã Lin Kuei com poderes sobre o frio. É enviado para o torneio para matar o organizador Shang Tsung.

Scorpion: Ninja rival de Sub-Zero. Ele havia sido assassinado por Sub-Zero algum tempo atrás, mas seu desejo de vingança o fez voltar dos mortos para se vingar.

Kano: Mercenário e líder da organização Black Dragon que entra no torneio com a intenção de roubar as riquezas do organizador Shang Tsung.

Goro: Atual campeão do torneio, este monstro de quatro braços é o príncipe da raça Shokan de Outworld.

Shang Tsung: Este feiticeiro é o organizador do torneio. Ele alimenta seus poderes com almas que rouba ao matar seus inimigos. Sua principal habilidade é mudar de forma.

Você deixaria seus filhos jogarem em uma máquina de onde saem dois tarados fantasiados?

CONTINUAÇÕES

Após o sucesso do primeiro jogo logo surgiram continuações, com novos torneios e o progresso da história. No texto acima eu usei apenas as informações do Mortal Kombat original, mas fãs do jogo podem usar qualquer outro ponto da história do jogo, como o torneio de Outworld (MK II), a invasão da Terra pelas forças de Shao Khan (MK 3), a Aliança Mortal de Shang Tsung e Quan Chi (MK Deadly Alliance) ou qualquer outro que julgue interessante.

Essa imagem não está aqui por nenhum propósito além de que... EU QUERO, ora bolas!

Agora nos próximos parágrafos seguem ideias de como usar a história de MK em seu sistema de jogo favorito.

DEFENSORES DO KOMBAT

Usar Mortal Kombat em 3D&T não requer muitas modificações, afinal este é um sistema voltado para personagens de anime, mangá e games. Se você quer reproduzir a dragão de fogo de Lyu Kang apenas coloque uns pontos em Poder de Fogo e classifique o dano como Fogo, se você quer reproduzir o poder de congelamento de Sub-Zero use a vantagem Paralisia e assim por diante.

Se você tivesse quatro braços e fosse gigantesco também poderia andar só de sunga e ainda assim parecer intimidador.

Uma característica do jogo, contudo, que pode ser usada ou não são os Fatalities, golpes especiais usados após o fim da luta para encerrar a carreira do oponente da maneira mais violenta possível.

Não existe uma regra própria para isso, mas uma sugestão é que após o inimigo ficar com 0s PV ele não caia imediatamente, mas fique cambaleando. Na próxima rodada então o vitorioso poderia tentar um golpe especial com um redutor de -2 ou -3 (a critério do Mestre, pois no jogo é uma sequência difícil de ser utilizada) e em caso de acerto o vencedor mataria o inimigo da forma mais violenta e criativa que possa imaginar, desde arrancar o esqueleto do inimigo pela boca até arrancar a pele e a carne dele com um grito.

Outra coisa a ser decidida pelo Mestre é o tipo de aventura a ser utilizada. O modo mais simples é o Arena, onde cada jogador faz sua ficha, o Mestre cria vários NPCs, faz algumas chaves e os jogadores rolam o torneio como no videogame.

A opção Arena pode até ser divertida, mas não é exatamente RPG e sim um jogo de estratégia. Uma outra opção seria usar o torneio como plano de fundo para uma história maior. Caso os personagens queiram usar seus próprios personagens uma boa ideia seria situar o torneio em um periodo anterior ao Mortal Kombat do primeiro jogo, talvez antes mesmo de Goro se sagrar o grande campeão, ou então coloque os jogadores no lugar de Liu Kang & cia. tornando-os os grandes heróis salvadores da Terra.

KOMBAT DAS TREVAS

Usar os kombatentes no Mundo das Trevas parece meio anti-climático. Existem vampiros, demônios, magos e toda sorte de seres sobrenaturais, mas o clima de Mortal Kombat é não é tão sombrio quanto o Horror Pessoal de Vampiro: A Máscara.

Porém, existe a versão do sistema Storyteller para o jogo Street Fighter que cai como uma luva neste cenário. Você pode usar os mesmos parâmetros usados em 3D&T para criar aventuras ou apenas jogos de Arena, além da possibilidade de fazer um crossover entre Kombatentes e Guerreiros Mundiais.

A única regra que deve ser adaptada é para os Fatalities, já que Street Fighter RPG não tem regras para a morte dos personagens. Uma opção seria adaptar alguns dos golpes da lista de Manobras Especiais do personagem para esse fim. Por exemplo, se o Fatality do seu personagem consiste em um gancho que arranca a cabeça do alvo com sua coluna vertebral junto, use a Manobra Power Uppercut, se o seu Fatality for uma bola de fogo que incinera o alvo até os ossos use Improved Fireball e assim por diante.

Como se trata de um golpe de finalização, ele só poderia ser usado quando o alvo estiver com o pontos de Saúde. Não é possível simular a dificuldade em acertar o golpe com uma jogada de ataque normal, pois os golpes em Street Fighter sempre acertam. Uma opção possível seria o Narrador estipular uma quantidade mínima de sucessos na Avaliação de Dano do Fatality. Caso o lutador não consiga, o golpe apenas atinge o alvo moribundo e nada demais acontece além da vitória. Em caso de sucesso é sangue pra todo lado!



Mortal Masmorra

Adaptar Mortal Kombat para Dungeons & Dragons e similares? Será possível?

Digo-vos sim! Tudo é possível dentro do RPG!

Uma opção é acrescentar Outworld e os demais Reinos à cosmologia de D&D e fazer com que os próprios personagens jogadores sejam os heróis escolhidos pelos deuses para defender seu mundo contra as forças de Outworld. Que tal Paladine ou Khalmyr em pessoa convocando os aventureiros para serem os eleitos para participarem de um torneio pela defesa do mundo conhecido?

Vale lembrar que mesmo havendo tecnologia suficiente para gerar ciborgues como Sektor e Cyrax ou os implantes biônicos de Jax, o mundo de Mortal Kombat é atemporal o suficiente para se usar em ambientes medievais. Na verdade os personagens que eu citei são da nossa Terra e não de Outworld! A maioria dos habitantes de Outworld resolve seus problemas com armas brancas e feitiçaria!

Se você usa ambientações medievais baseadas no mundo real, ou outros períodos históricos, também pode aproveitar a história de Mortal Kombat. Lembre-se que o torneio já era realizado há muito tempo antes do primeiro jogo.

Outro ponto a ser citado é que nem só de luta vive Mortal Kombat. Uma breve pesquisada no cenário de Outworld pode inspirar várias histórias de aventura e ação sem necessariamente se basear no torneio.

Uma boa fonte de inspiração é o jogo para Playstation 2 Mortal Kombat Shaolin Monks que ocorre entre o primeiro e o segundo Mortal Kombat, onde os personagens visitam locais conhecidos dos jogadores e enfrentam toda sorte de monstros e desafios. Outro jogo digno de nota (apesar de ser uma bosta) é o Mortal Kombat Mithologies: Sub Zero, um jogo de ação onde o ninja do frio deve enfrentar vários desafios para cumprir uma missão que lhe fora dada por Raiden.

MINIATURE KOMBAT

Sim, Mortal Kombat serve muito bem para ser adaptado para o controverso Dungeons & Dragons 4ª edição!

A ideia de usar miniaturas em um campo de batalha já fora explorada em Street Fighter RPG e aqui não é muito diferente, porém ao contrário da 3ª edição de D&D, aqui não existem os monges, especialistas em porrada marcial (pelo menos não no livro básico).

Um grupo criativo pode criar toneladas de poderes para simularem os golpes dos personagens de Mortal Kombat, ou até mesmo adaptar os poderes normais. Como os personagens de Mortal Kombat não tem uma classe definida, podendo ter os mais variados poderes sem nenhuma explicação plausível, o Mestre de jogo poderia permitir que os personagens comprassem poderes de outras classes por um custo maior, sempre no mesmo nível de seu personagem, ou inferior.

Até mesmo os Fatalities podem ser transformados em Poderes, de preferência Poderes Diários ou no máximo Por Encontro, senão o jogo vira uma chuva de inimigos decaptados, decepados, carbonizados e demais vítimas do vídeo Faces da Morte.

Sobre o tipo de aventuras não tem muito o que se explicar. D&D 4e é perfeito para aventuras do tipo Arena. Se você tem jogadores o suficiente dispensa-se até mesmo um Mestre para controlar os PdMs, embora seja bom um árbitro para narrar os efeitos das ações e resolver algumas disputas.

Mas é claro que a graça do RPG é contar histórias, por isso o ideal é usar o torneio apenas como plano de fundo para uma história ainda maior. Todas as dicas dadas na seção anterior desse texto se aplicam aqui.

OUTROS SISTEMAS

As dicas acima são para os sistemas mais populares, mas a ideia dessa sessão é abordar de tudo um pouco, por isso vamos a algumas dicas relâmpago para que vocês trabalhem vossas criatividades:

GURPS - Se você precisa de instruções de como adaptar qualquer coisa para GURPS você é no mínimo preguiçoso. GURPS é um sistema genérico, por isso você apenas precisa fazer as fichas dos personagens. O Módulo Básico já tem bastante coisa pra ajudar, mas os suplementos Gurps Artes Marciais e Gurps Supers são de grande ajuda.

Não falei? Supers e Kombatentes!

Daemon - Que tal incluir Outworld em algum lugar na Roda dos Mundos? Uma campanha padrão de Trevas ou Arkanun talvez ficasse esquisita com monges voadores e ninjas coloridos, mas esse sistema também tem suplementos para animes e super heróis.

Cyberpunk 2020 - Se o torneio ocorre de tempos em tempos porque não fazer um no futuro? Já temos ninjas cibernéticos e soldados com implantes biônicos, além do clima pós apocalíptico dos cenários na Terra em Mortal Kombat 3.

Shadowrun - Leia o parágrafo anterior e inclua elfos, anões, orks e outros bichos.

Ação!!! - Perfeito!!! A classe Lutador e a classe de prestígio Artista Marcial caem como uma luva aqui!!! E eu sempre uso três exclamações quando falo desse jogo!!!

4D&T - É a mesmíssima premissa de 3D&T, mas usando o Sistema D20... sem o D20! De qualquer forma são personagens de anime, que facilmente se adequam a um jogo repleto de combates burlescos.

Outros D20 - O sistema D20 como um todo, também é genérico o suficiente para abranger esse tipo de jogo. Não há mistério em se adaptar os Kombatentes para a maioria das variações desse sistema de regras.


Enfim, criançada, essa foi a estréia da coluna Doppleganger aqui no Dragão Banguela, onde ao invés de trazer tudo pronto eu apenas darei dicas de como VOCÊS vão usar a cabeça para adaptar o seu livro/filme/game/anime/HQ/seriado/hentai favorito para a mesa de jogo.

O foco não são as regras e sim o clima que cada jogo possui, sempre respeitando a premissa de cada jogo e do material a ser adaptado. Se você gostou, não gostou, achou muito bom, achou uma merda ou tem sugestões a fazer, o espaço abaixo é de vocês. As regras vocês já sabem, comentários contrutivos serão sempre bem vindos, sejam críticas ou elogios. Já os comentários imbecis serão sumariamente ignorados.

Portanto, rolem seus dados e que o torneio comece!

FINISH HIM!


Sobre o Autor:
O OráculoO Oráculo é o segundo em comando no Blog do Dragão Banguela e escreve sobre nerdices em geral no Dimensão X. Mago e Inspetor de Equipamentos nas horas vagas. Não perde pra ninguém usando o Scorpion.



13 comentários:

  1. Ei dedinho nervoso, quanto tempo você levou pra escrever ISSO???

    Muito legal! E muito bem feita a materia.
    Mas MK tambem ajuda. Aliás, to torcendo muito pelo seu retorno.

    E só pra não dizerem que eu não disse nada que preste: entre uma luta e outra algo sempre tem que acontecer, os vilões querem ganhar de qualquer maneira, o que é visto na arena é apenas a ponta do Iceberg. Uma boa dica tambem é assistir aos filmes (que são um lixo), que é uma grande fonte de ideias.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, pessoal!

    Levei em torno de uma semana escrevendo e pesquisando sobre o assunto, mas a ideia já vinha maturando na minha cabeça há bem mais tempo.

    Realmente, como o Ladyus disse, o MK é um torneio de vida ou morte e com pouquíssimas regras, onde os vilões querem vencer a todo custo. Aventuras baseadas em torneios poderiam gerar ótimas histórias no entrelutas (sim, eu inventei essa palavra).

    Como o Ladyus bem lembrou, existem dois filmes baseados em MK. O primeiro é o mais bem produzido e possui uma história interessante e vagamente fiel ao jogo (pena que limaram completamente a rivalidade entre Sub-Zero e Scorpion), já o segundo é uma bosta fumegante, mas é legal porque tem muito mais personagens.

    Quanto ao retorno de MK já tem um novo game em produção (ou já foi lançado, sei lá) e me deixou com a mão coçando por um videogame novo.

    Vale lembrar que vocês podem dar suas sugestões de qual franquia será adaptada nessa coluna.

    ResponderExcluir
  3. Caras, cresci jogando MK.

    Os três primeiros são uma obra prima dos video-games.

    Agora duas coisas:

    Alguém sabe qual é o nome daquele carinha que aparece de vez em quando fazendo "Buppyyy"?

    E outra coisa e mais importante:

    Essa guria de cosplay de jade é aqui do RS. Ela vai direto em eventos de anime fazendo o homônimo cosplay. =D

    ResponderExcluir
  4. Eu não curti muito o Mortal Kombat 3 original. Como fazer um MK SEM O SCORPION?

    Mas eles corrigiram a cagada a tempo e lançaram o Ultimate MK3 pro Super Nintendo em uma época em que a disputa videogamistica era ferrenha aqui em casa, principalmente com o meu coroa apelando com o Sektor.

    Quanto ao carinha no canto da tela, ele se chama Dan Forden e era o responsável pela parte sonora nos games. A palavra que ele fala é "Toasty", uma piada interna entre os programadores do jogo que falavam isso quando ganhavam lutas enquanto faziam o jogo.

    ResponderExcluir
  5. Gosto de MK mas nunca joguei as adaptações para rpg, creio que as unicas adaptações para 3d&t foram a de pokemon e mega man... e claro tormenta.

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca li a revista de 3D&T sobre Mortal Kombat 4, por isso, tudo nesse texto veio da minha cabeça mesmo.

    Eu adoro fazer adaptações de cenários famosos para RPG, pois uma das melhores presmissas desse tipo de jogo é poder interpretar seus personagens favoritos ou vencer seus vilões favoritos.

    ResponderExcluir
  7. Faça uma com Cowboy Bebop MUITA gente vai gostar!

    ResponderExcluir
  8. Sugestão anotada, mas primeiro eu deveria ASSISTIR pelo menos a um capítulo desse desenho.

    ResponderExcluir
  9. tartaruga ninja, eu jogaria :D

    ResponderExcluir
  10. Taí uma ótima sugestão.

    Porque eu era simplesmente FANÁTICO por esse desenho!

    ResponderExcluir
  11. que tal thundercats? =D

    ResponderExcluir
  12. Outro sistema que não dá muito trabalho para adaptar é o mutantes e malfeitores, ainda mais que saiu o suplemento para artistas marciais

    ResponderExcluir